PUBLICIDADE
Topo

Blog do Matias

Uma homenagem de Peter Jackson ao grande Christopher Lee

Alexandre Matias

13/06/2015 00h26

saruman

Muito já foi dito sobre a vida e influência de Christopher Lee, o clássico ator que imortalizou o vampiro Drácula nas telas e passou pelas principais franquias do cinema de entretenimento (007, Senhor dos Anéis e Guerra nas Estrelas), que morreu na quinta passada. Mas vale dar atenção à homenagem feita por Peter Jackson, que o dirigiu como o mago Saruman por cinco filmes, que resolveu dividir suas memórias com o ícone em sua página Facebook:

"É com tremenda tristeza que soube da passagem de Sir Christopher Lee. Ele tinha 93 anos, não estava com sua habitual boa saúde há um tempo, mas seu espírito permanecia, como sempre, indomável.

Christopher falava sete idiomas; ele era, em todo os os sentidos, um homem do mundo; bem versado em arte, política, literatura, história e ciência. Ele era um erudito, um cantor, um extraordinário contador de histórias e, claro, um ator maravilhoso. Uma das minhas coisas favoritas que fazia sempre que ia para Londres era visitar Christopher e Gitte (esposa de Lee), quando ele me presenteava com horas de suas histórias sobre sua vida extraordinária. Eu amava ouvi-las e ele amava contá-las – elas eram ainda mais irresistíveis pois tudo era verdade -, histórias de sua época no Serviço Aéreo Especial (a elite do exército britânico) durante a Segunda Guerra Mundial aos anos dos filmes de horror na Hammer e, depois, seu trabalho com Tim Burton – que ele tinha um enorme orgulho.

Tive sorte de trabalhar com Chris em cinco filmes ao todo e nunca deixou de ser uma emoção vê-lo no set. Lembro de ele me dizer em meu aniversário de 40 anos (ele tinha 80 na época): 'Você é metade do homem que sou'. Ser metade do homem que Christopher Lee é é muito mais do que eu jamais poderia desejar. Ele era um cavalheiro de verdade em uma era que não mais valoriza cavalheiros.

Cresci amando os filmes de Christopher Lee. Pela maior parte da minha vida, me encantei com os grandes papéis icônicos que ele não apenas criou – mas continuou dono por décadas a seguir. Mas em algum lugar pelo caminho Christopher Lee, de repente e magicamente, dissolveu-se e tornou-se meu amigo, Chris. E eu amava Chris ainda mais.

Nunca haverá outro Christopher Lee. Ele tem um lugar único na história do cinema e nos corações de milhões de fãs por todo o mundo.

O mundo será um lugar menor sem ele.

Minha mais profunda compaixão a Gitte, sua família e amigos.

Descanse em paz, Chris.

Um ícone do cinema torna-se uma lenda."

Ave Christopher.

Sobre o Autor

Alexandre Matias cobre cultura, comportamento e tecnologia há mais de duas décadas e sua produção está centralizada no site Trabalho Sujo (www.trabalhosujo.com.br), desde 1995 (@trabalhosujo nas rede sociais). É curador de música do Centro Cultural São Paulo e do Centro da Terra, do ciclo de debates Spotify Talks, colunista da revista Caros Amigos, e produtor da festa Noites Trabalho Sujo.

Sobre o Blog

A cultura do século 21 é muito mais ampla que a cultura pop, a vida digital ou o mercado de massas. Inclui comportamento, hypes, ciência, nostalgia e tecnologia traduzidos diariamente em livros, discos, sites, revistas, blogs, HQs, séries, filmes e programas de TV. Um lugar para discussões aprofundadas, paralelos entre diferentes áreas e velhos assuntos à tona, tudo ao mesmo tempo.

Blog do Matias