Blog do Matias

Foi dada a largada para a segunda temporada de “Stranger Things”
Comentários Comente

Alexandre Matias

strangerthings21

Madmax, O Menino Que Ressuscitou, A Plantação de Abóboras, O Palácio, A Tempestade, O Girino, A Cabana Secreta, O Cérebro e O Irmão Desaparecido (ou Madmax, The Boy Who Came Back to Life, The Pumpkin Patch, The Palace, The Storm, The Pollywog, The Secret Cabin, The Brain e The Lost Brother, na versão original em inglês): estes termos foram mostrados à apresentação do primeiro teaser da segunda temporada de Stranger Things, que o Netflix revelou nesta quarta-feira. Tudo indica que são os títulos dos episódios da próxima safra, que seus autores – os irmãos Duffer, que continuam às redeas de sua criação – já disseram que querem tratar como um segundo filme mais do que apenas novos episódios.

Os títulos dão margens boas para especulações, mas a única certeza por enquanto é que a série estreia em 2017.


Imagine se todos pudessem ouvir o disco novo de Beyoncé…
Comentários 15

Alexandre Matias

beyonce-vma-2016

Ainda não dá para mensurar o tamanho do estrago feito por Beyoncé no pop atual em 2016 – mesmo porque este estrago ainda está sendo feito. A apresentação dela ontem na premiação da MTV foi mais um capítulo desta saga audiovisual.

Impressionante.

Mas o mais impressionante é que, por mais que a maioria do público presente berrasse as letras de todas as músicas, as quatro músicas apresentadas – ''Pray You Catch Me'', ''Hold Up'', ''Sorry'', ''Don't Hurt Yourself'' e ''Formation'' – não são conhecidas de todas as pessoas. Porque Lemonade é um disco pop tão maiúsculo quanto o Thriller de Michael Jackson, fundindo forças tão díspares quanto os rompantes feministas de Taylor Swift em seu 1989 com o gesto negro de Kendrick Lamar em seu To Pimp a Butterfly, com uma dor pessoal sangrada em público.

Ao desenvolver o conceito de vídeo-álbum, que havia rascunhado em seu disco de 2013 (o disco feminista que levava apenas seu nome como título), Beyoncé tem transcendido os limites do disco ao espalhá-lo por diferentes mídias, formatos e molduras. Ela o lançou no início do ano ao apresentar o single ''Formation'' na apresentação do Superbowl. Depois mostrou que a mesma ''Formation'' (que já havia sido um choque para o pop norte-americano, principalmente ao apertar forte as feridas do racismo e do machismo) era apenas um apêndice de uma dor maior: o álbum Lemonade, lançado apenas no serviço de streaming Tidal e como um filme de arte exibido pela HBO, sangrava toda a dor da traição de um casamento, cenas de um divórcio – no caso de Jay Z, o MC executivo que está virando primeiro-damo – em tempo real. O disco prosseguiu ao vivo, numa turnê que vem sendo considerada uma das mais bem sucedidas da história e a apresentação na MTV foi só mais um passo.

Mas para muitos, foi a primeira vez que essas músicas foram ouvidas e esse é um dos grandes impasses de 2016: a exclusividade de algumas obras a certas plataformas de streaming tem reprimido o alcance de discos que, em outras épocas, teriam um público muito maior. O mesmo aconteceu com os discos mais recentes de Rihanna (que, no dia do lançamento, liberou o disco pra download em um tweet) e de Kanye West, além do recém-lançado Blonde, de Frank Ocean, que, ao ser lançado como conteúdo exclusivo Apple Music, bateu recordes de downloads ilegais, ressuscitando um hábito que muitos achavam que já tinha sido extinto, ao bater a casa dos 750 mil downloads.

A exclusividade de Beyoncé no Tidal ainda é mais preocupante, porque seu disco é mais universal e com Lemonade ela senta-se no trono do pop mundial, sem contar sua importância contra o machismo e o racismo. Ao ofuscar todo o resto da premiação da MTV, Beyoncé prova que sabe do impacto de sua majestade, mas ela ainda está restrita pelas correntes do streaming. Ela já lançou alguns clipes em seu canal do YouTube, mas como ela faz questão de enfatizar, Lemonade é um todo, um álbum, um conjunto de canções que conta uma história – pessoal, sim, mas uma que todos podem se identificar. Essencialmente pop, mesmo com sua importância política – ou justamente por causa desta. Ainda vou gastar mais linhas para falar desse disco até o final do ano, pois cada vez mais entendo que Lemonade é o grande disco desta década.

Mas como nem todo mundo pode ouvi-lo ainda, seu impacto ainda é restrito. Imagine se todos pudéssemos ouvi-lo livremente…


Tá achando que tem muito filme de super-herói? Você ainda não viu os russos
Comentários 17

Alexandre Matias

guardians

A febre dos filmes de super-herói ainda segue em curva ascendente no cinema norte-americano a ponto de gerar subprodutos em outras indústrias cinematográficas. Mas quem poderia nos preparar para o trailer deste filme russo ЗАЩИТНИКИ – ou Guardiões, em sua versão ocidental?

Ler (interpretado por Sebastien Sisak) consegue mover pedras, Khan (Sanzhar Madiyev) é um mestre das espadas, Kseniya (Alina Lanina) é uma espécie de mulher invisível que consegue manipular a água e Arsus (Anton Pampushnyy) é um espécie de lobisomem que vira urso e consegue controlar o quanto de seu corpo se transforma em animal. Pelo que dá pra entender pelo trailer, os quatro são reunidos por uma versão ex-KGB do Nick Fury da Marvel, que os chama como última alternativa para enfrentar um vilão que está destruindo o exército russo. O filme estreia em fevereiro do ano que vem na Rússia, mas me diga se você não ficou com vontade de assistir um filme que tem um urso atirando com uma metralhadora?


Seu Jorge fará turnê tocando David Bowie como no filme de Wes Anderson
Comentários 1

Alexandre Matias

seujorge

''Haters gonna hate'', como reza o ditado norte-americano, mas o fato é que Seu Jorge está mais do que certo em anunciar uma turnê pelos Estados Unidos e Canadá em homenagem a David Bowie – ainda mais caracterizado como o personagem Pelé dos Santos, que interpretou no filme A Vida Marinha com Steve Zissou, que Wes Anderson lançou em 2004. No filme, o personagem faz várias versões abrasileiradas para clássicos do ícone do rock que morreu no início deste ano, mais preocupado com métrica e sonoridade do que em adaptar as letras do inglês para o português – e assim ''Rebel Rebel'' vira ''Zero a Zero'', por exemplo. As versões deram origem ao disco Life Aquatic Studio Sessions, que servirá de base para a turnê:

A turnê acontece durante o mês de novembro e passa por treze cidades nos Estados Unidos e no Canadá. Seu Jorge apresenta-se apenas ao violão e fantasiado com o uniforme do time aquático mostrado no filme, que terá trechos exibidos em uma vela de um barco que comporá o cenário. Eis as datas que ele fará pela América do Norte.

4 – Faena Theater, em Miami
7 – Union Transfer, na Filadélfia
8 – The Howard Theatre, em Washington
9 – Symphony Hallm en Boston
11 e 12 – Town Hall, em Nova York
14 – Theatre Maisonneuve, em Montreal
15 – Queen Elizabeth Theatre, em Toronto
17 – Thalia Hall, em Chicago
20 – Vogue Theatre, em Vancouver
21 – Showbox, em Seattle
22 – Revolution Hall, em Portland
25 – The Regency Ballroom, em São Francisco
26 e 27 – The Theatre at Ace Hotel, em Los Angeles

Você pode até não gostar do trabalho de Seu Jorge, mas que ele sabe tirar uma onda, ah isso ele sabe… Saca só:


''Life on Mars''


''Lady Stardust''


''Changes''


''Rock'n'Roll Suicide''


''Starman''

Será que a turnê vem pro Brasil?